“Give Me Liberty” vence Festival Internacional de Cinema de Macau

/“Give Me Liberty” vence Festival Internacional de Cinema de Macau

“Give Me Liberty” vence Festival Internacional de Cinema de Macau

A comédia norte-americana “Give Me Liberty” conquistou o prémio de melhor filme da quarta edição do Festival Internacional de Cinema de Macau (IFFAM), anunciou a organização.

O britânico Fyzal Boulifa foi distinguido como melhor realizador pela película “Lynn + Lucy” (Reino Unido/França), que valeu o prémio de melhor actriz a Roxanne Scrimshaw, indicou.

O prémio de melhor ator foi para Sarm Heng, em “Buoyancy”, drama australiano realizado por Rodd Rathjen e que conquistou também o prémio do público de Macau, de acordo com um comunicado.

O melhor argumento foi para Hamish Bennett, também realizador de “Bellbird” (Nova Zelândia), um dos dez filmes em competição, juntamente com “Bombay Rose” (Índia/França/Reino Unido/Qatar), “Family Members” (Argentina), “Goldie” (EUA/França/Holanda/Luxemburgo), “Two of us” (França/Bélgica/Holanda/Luxemburgo) e “Two/One” (Reino Unido/China/Canadá).

“Chegámos à reta final do 4.° Festival Internacional de Cinema e Cerimónia de Entrega de Prémios-Macau. Em seis dias, partilhámos com o público mais de 50 películas fruto do trabalho árduo de cineastas de todo o mundo, e testemunhámos através do Intercâmbio para a Indústria Cinematográfica, novos projectos de filmes preparados ativamente pelas suas equipas de produção”, disse a presidente da comissão organizadora do IFFAM e diretora dos Serviços de Turismo de Macau.

Maria Helena de Senna Fernandes acrescentou que “Macau é uma cidade criativa, de portas abertas para encetar cooperação em diferentes áreas (…), explorar as possibilidades ilimitadas do mundo do cinema com a indústria cinematográfica de todo o mundo e em conjunto criar novas oportunidades”.

Também em competição, na secção Novo Cinema Chinês, a película “Dwelling In The Fuchun Mountains”, de Gu Xiaogang, conquistou o prémio de melhor filme, enquanto “Wet Season” (Singapura) deu a Anthony Chen o prémio de melhor realizador.

A categoria de melhor atriz nesta secção foi para Zhou Dongyu, em “Better Days”, e Xiaoliang Wu, em “Wisdom Tooth”, arrecadou o prémio de melhor ator.

O prémio de melhor argumento foi entregue a Johnna Ma, por “To Live To Sing”.

Durante a cerimónia de encerramento do IFFAM, que decorreu no centro cultural de Macau, a realizadora chinesa Li Shaohong recebeu o prémio de carreira “Espírito do Cinema”, e o seu trabalho “A City Called Macao” foi exibido na secção de Apresentações Especiais do festival.

“To Live To Sing” recebeu ainda o Prémio NETPAC (Network for the Promotion of Asian Cinema – Rede de Promoção do Cinema Asiático), enquanto o filme sul-coreano “Parasite” (“Parasita”), de Bong Joon-ho, recebeu o Prémio de Filme Sucesso de Bilheteira Asiático de 2019.

“Years of Macao” foi distinguido com o prémio críticos cinéfilos para o melhor filme de Macau das Apresentações Especiais para o 20.° aniversário da região administrativa especial chinesa.

O júri da secção de Competição Internacional do IFFAM era composto por Peter Chan Ho-sun, Ellen Eliasoph, Dian Sastrowardoyo, Midi Z e Tom Cullen, enquanto Cristian Mungiu, Kristen Tan, Noah Cowan e Qiu Yang, integraram o júri da secção Novo Cinema Chinês.

Fonte: Lusa

Por | 2019-12-12T06:33:19+00:00 12 de Dezembro de 2019|Categorias: Arte, Cultura||0 Comentários

Sobre o autor:

Somos
Multiplataforma de comunicação numa mesma língua que junta contadores de estórias de Macau, da China e de todos os espaços do universo lusófono.

Deixe um comentário