Festival de Artes de Macau apresenta 22 espetáculos de tributo aos clássicos

Vinte e dois espetáculos de “tribunto aos clássicos” vão ser apresentados durante o 30.º Festival de Artes de Macau (FAM), que vai decorrer entre 03 de maio e 02 de junho, foi ontem anunciado.

“Com respeito pelos clássicos e com a determinação de criar obras que se transformem em clássicos, o festival irá continuar a injetar vitalidade cultural em Macau, permitindo ao público apreciar obras intemporais”, indicou o Instituto Cultural, em comunicado.

O FAM abre com o espectáculo “Vertikal”, coproduzido pelo conceituado coreógrafo francês Mourad Merzouki, e pela companhia de dança ‘hip hop’ CCN Créteil et Val-de-Marne/Cie Käfig, e encerra com a ópera cantonense “A Alma de Macau”, uma produção adaptada pelo dramaturgo Li Xinhua.

No ano em que se assinalam dez anos da data em que a ópera cantonense foi inscrita na lista de Património Cultural Imaterial da Humanidade, o festival aposta nesta produção que surge a partir de uma peça original de um autor local e que conta com a interpretação de atores macaenses e da Trupe de Ópera Cantonense de Foshan, “dando vida à épica história” do território, e refletindo a profunda colaboração cultural na região da Grande Baía de Guangdong-Hong Kong–Macau”, destacou a organização do festival.

O espetáculo do Teatro do Elétrico de Portugal, que cruza várias peças de Karl Valentin, apelidado de ‘Charlie Chaplin alemão’, é um dos destaques do FAM. Música, dança e teatro integram “Karl Valentin Kabarett”, uma fusão de várias peças curtas escritas pelo escritor alemão.

Dezoito anos depois da estreia, o espetáculo de dança “Rain” será reencenado em Macau através da colaboração entre o músico contemporâneo Steve Reich, a coreógrafa belga Anne Teresa De Keersmaeker e a sua companhia de dança Rosas.

O programa inclui o patuá, crioulo de local de matriz portuguesa, inscrito na lista do património cultural imaterial de Macau, com a peça “Tirâ Pai na Putau (Tirar o Pai da Forca)”, a cargo do grupo Dóci Papiaçám di Macau.

O FAM apresenta ainda os concertos “Uma Sinfonia Alpina”, com apelo à obra de Richard Strauss, pela Orquestra de Macau e pela Orquestra Sinfónica de Shenzhen, e “Pintura Musical Chinesa”, pela Orquestra Chinesa de Macau.

No Museu de Arte de Macau estará patente a exposição “Comemoração do 70.º aniversário da Implantação da República Popular da China e o 20.º aniversário do Retorno de Macau à Pátria Beleza na Nova Era —— Obras-primas da Colecção do Museu Nacional de Arte da China”.

Fonte: Lusa

Partilhe esta história, escolha a plataforma!

Relacionados