40 casas sociais para Vila de Santa Catarina

/40 casas sociais para Vila de Santa Catarina

40 casas sociais para Vila de Santa Catarina

O projecto de investimento em resiliência das áreas costeiras da África ocidental, financiado pelo Banco Mundial, vai construir um novo bairro residencial na Vila de Santa Catarina, no norte da ilha de São Tomé.

O novo bairro composto por 40 casas sociais, vai ser erguido na zona de expansão segura criada, para albergar a população piscatória que tem sido fustigada com os fenómenos estranhos, provocados pelas mudanças climáticas.

Ondas gigantes, é um dos fenómenos estranhos que no ano 2015 devastou a zona costeira da Vila da Santa Catarina, tendo destruído várias casas.

«Agora estamos na fase de elaboração de projectos de construção das infra-estruturas sociais e habitacionais», afirmou Arlindo Carvalho, coordenador do projecto de investimento em resiliência das áreas costeiras da África ocidental –  WACA.

A estrutura da zona de expansão segura já começou a ser construída. Vai durar 3 meses, e logo a seguir iniciarão as obras de construção das casas sociais.

«Logo que terminar, nós iremos iniciar o processo de construção das habitações… A população de Santa Catarina sugeriu que nós construíssemos uma escola. Também nós trabalhamos com o Ministério da Educação na elaboração de um projecto de escola. Já temos então este projecto também elaborado, que nós aí apresentamos, uma escola com 3 salas de aulas», detalhou o coordenador do projecto WACA.

Vila de Santa Catarina, está virada para o mar. Pesca é a actividade principal dos seus habitantes. Os efeitos das mudanças climáticas são cada vez mais visíveis em Santa Catarina. O mar avança sobre a terra. Ao mesmo tempo a população cresce de forma acelerada, e a pobreza aumenta exponencialmente.

Fonte: TÉLA NÓN

Por | 2020-08-25T05:24:24+00:00 25 de Agosto de 2020|Categorias: Sociedade||0 Comentários

Sobre o autor:

Multiplataforma de comunicação numa mesma língua que junta contadores de estórias de Macau, da China e de todos os espaços do universo lusófono.

Deixe um comentário