Adaptação teatral à obra de João Cabral de Melo Neto apresentada no CCBM

/Adaptação teatral à obra de João Cabral de Melo Neto apresentada no CCBM

Adaptação teatral à obra de João Cabral de Melo Neto apresentada no CCBM

No dia 27, às 18h30 (hora local), a performance artística sobre a “Morte e vida Severina”, de João Cabral de Melo Neto, será exibida no Centro Cultural Brasil-Moçambique, na cidade de Maputo.

A performance à obra de um dos autores brasileiros bem conhecidos no país é uma iniciativa actor Expedito Araújo, igualmente brasileiro, radicado na capital moçambicana.

Para Araújo, a “Morte e vida Severina” é um poema de construção dramática com exaltação à tradição pastoril.

“Ele foi adaptado para o teatro, televisão, cinema e transformado em desenho animado. Por meio da obra, João Cabral de Melo Neto, que também era diplomata, foi consagrado como autor nacional e internacional.

Como diplomata, o autor trabalhou em Barcelona, Madrid e Sevilha, cidades espanholas que permitiram clara influência sobre sua obra”, acrescentou o actor: “A obra é, acima de tudo, uma ode ao pessimismo, aos dramas humanos e à indiscutível capacidade de adaptação dos retirantes nordestinos.

O poema choca pelo realismo demonstrado na universalidade da condição miserável do retirante, desbancando a identidade pessoal.”

“Morte e vida Severina” apresenta o percurso de morte e vida do retirante Severino, um entre muitos outros, que tem o mesmo nome, a mesma cabeça grande e o mesmo destino trágico do sertão brasileiro: morrer de emboscada antes dos vinte anos, de velhice antes dos trinta e de fome um pouco a cada dia.

Severino percorre o sertão em busca de uma expectativa de vida melhor no litoral.

A peça traz dois momentos: a primeira com o seu caminho até o Recife e a segunda a sua chegada e estadia na capital pernambucana. Será apresentada pelo actor Expedito Araújo adaptada para peça de teatro a partir do livro de poema modernista escrito entre 1954 e 1955.

Fonte: O País

Por | 2019-09-25T06:47:13+00:00 25 de Setembro de 2019|Categorias: Cultura||0 Comentários

Sobre o autor:

Somos

Deixe um comentário