Artistas lusófonos promovem “Pontes de Encontro” no Clube Militar de Macau

/Artistas lusófonos promovem “Pontes de Encontro” no Clube Militar de Macau

Artistas lusófonos promovem “Pontes de Encontro” no Clube Militar de Macau

Obras de nove artistas plásticos lusófonos estão patentes no Clube Militar de Macau a partir de quinta-feira, “um tributo à vitalidade das artes do mundo de língua portuguesa como um todo”, segundo a organização.

Armanda Alves (Angola), Marcelo Jorge (Brasil), Omar Camilo (Cabo Verde), Lemos Djata (Guiné-Bissau), Carlos Marreiros (Macau), Samuel Djive (Moçambique), Damião Porto (Portugal), Guilherme Carvalho (São Tomé e Príncipe) e Inu Berre (Timor-Leste) são os artistas plásticos contemporâneos que participam nesta mostra.

A exposição, que conta com três obras de cada um dos artistas, é patrocinada pelo Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, “visando contribuir para o aprofundamento das relações culturais entre a China e o os países de expressão lusófona”, sublinhou a organização.

A exposição de pintura lusófona vai estar patente na Galeria Comendador Ho Yin de 26 de setembro e 26 de outubro e faz parte do ciclo “Pontes de Encontro-2019”, organizado pelo Clube Militar de Macau, que se estreou este ano com uma mostra do artista plástico português Vítor Pomar, então integrada nas comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

A Fundação Macau, a Sociedade de Jogos de Macau, o Grupo Sam Lei e o Comandante Ng Fok apoiam igualmente este programa de eventos.

A curadoria e a produção executiva são da responsabilidade da APAC – Associação para a Promoção de Atividades Culturais.

A organização explicou em comunicado o que se pode esperar da mostra: “Os assuntos, cores e técnicas são naturalmente diversas. Eles refletem diferentes abordagens, sensibilidades e contextos. Isso é o que se podia esperar. O objetivo não é apresentar um tema ou uma abordagem unificada. Em vez disso, é fornecer um vislumbre da variedade de temas e modos de expressão encontrados nesses países”.

Fonte: Lusa

Por | 2019-09-23T04:51:31+00:00 23 de Setembro de 2019|Categorias: Arte, Cultura||0 Comentários

Sobre o autor:

Somos
Multiplataforma de comunicação numa mesma língua que junta contadores de estórias de Macau, da China e de todos os espaços do universo lusófono.

Deixe um comentário