Diferentes linguagens do jazz voltam a percorrer as Aldeias do Xisto no verão

/Diferentes linguagens do jazz voltam a percorrer as Aldeias do Xisto no verão

Diferentes linguagens do jazz voltam a percorrer as Aldeias do Xisto no verão

As Aldeias do Xisto voltam a receber o XJazz, durante o verão, iniciativa que este ano promove quatro concertos e uma residência artística, incluindo uma atuação de William Parker e Hamid Drake, “duas figuras fundamentais do ‘free jazz'”.

O XJazz – Encontros de Jazz das Aldeias do Xisto, tal como nas sete edições anteriores, apresenta um programa com “concertos dentro do jazz e da música exploratória” a partir de “linguagens muito distintas”, com atuações no Fajão (Pampilhosa da Serra), Barroca (Fundão), Gondramaz (Miranda do Corvo) e Cerdeira (Lousã), disse à agência Lusa José Miguel Pereira, diretor do Jazz ao Centro Clube (JACC), que organiza a iniciativa em conjunto com a Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto.

Até setembro, haverá ‘free jazz’, fusão entre música tradicional portuguesa e jazz, um diálogo entre o pop e o jazz e um concerto que explora as paisagens sonoras das Aldeias do Xisto.

O programa arranca com a atuação de William Parker e Hamid Drake com o também norte-americano John Dikeman e o trompetista português Luís Vicente, no dia 20, no Fajão.

“William Parker e Hamid Drake são duas figuras fundamentais da história do jazz e do ‘free jazz’. William Parker fez parte dos momentos fundadores da segunda geração do ‘free jazz’, na década de 1970, sendo uma figura incontornável. Não se faz a história do jazz sem o William Parker”, vincou José Miguel Pereira.

O contrabaixista norte-americano fez parte da Cecil Taylor Unit, tendo editado álbuns desde os anos 1980, alguns dos quais com Hamid Drake, baterista que colaborou com nomes do jazz como Don Cherry, Herbie Hancock, Pharoah Sanders ou Archie Sheep.

Para além da apresentação no XJazz, o grupo atua ainda em Lisboa (Galeria Zé dos Bois) e em Coimbra (Casa das Artes da Fundação Bissaya Barreto).

Entre o dia 23 e 06 de agosto, no âmbito dos Encontros, Maria Villanueva, guitarrista com formação na área do jazz, estará em residência artística na Barroca com Vânia Couto, que pertence a projetos como Pensão Flor ou Macadame.

Com apresentação pública do resultado da residência em 04 de agosto, as duas artistas, que terão como convidados o baixista Yoshida Carvalho e o vibrafonista Lucas de Centi, vão trabalhar o património da música tradicional da região e da Galiza, “com um vocabulário mais ligado ao jazz”.

A 24 de agosto, os artistas João Firmino e Joana Espadinha, ambos com formação no jazz, mas que se movem pela música pop, vão apresentar em Gondramaz uma atuação em duo, “realçando o seu trabalho instrumental e vocal de excelência”, refere a organização.

Os Encontros terminam em 15 de setembro, na Cerdeira, com o concerto “Xisto Sonoro”, do paisagista Luís Antero, que vai trabalhar os sons que tem recolhido nas aldeias, juntamente com alguns convidados.

Para José Miguel Pereira, a organização do XJazz procura, na programação, “dar uma matriz de identificação destas aldeias com a produção contemporânea e não remetê-las para a não contemporaneidade”.

“Há autenticidade e isso é patente, mas também há uma ligação com o futuro, porque pretende-se que haja aqui futuro, em aldeias que, apesar de tudo, demonstram uma enorme resiliência”, salientou o diretor do JACC.

Fonte: Lusa

Por | 2019-07-12T05:23:44+00:00 12 de Julho de 2019|Categorias: Cultura||0 Comentários

Sobre o autor:

Somos
Multiplataforma de comunicação numa mesma língua que junta contadores de estórias de Macau, da China e de todos os espaços do universo lusófono.

Deixe um comentário