Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela com filmes da CPLP

/Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela com filmes da CPLP

Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela com filmes da CPLP

Um total de 80 filmes vão estar a concurso na 25.ª edição do CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, a realizar em Seia, no distrito da Guarda, em outubro.

“O mais antigo festival de cinema ambiental do mundo, o único do género em Portugal, conta com uma seleção oficial de 80 filmes, de 20 países, que abordam questões inerentes ao ambiente e à emergência climática, uma reflexão geral sobre o impacto da ação do Homem na Terra”, refere a organização em comunicado hoje enviado à agência Lusa.

Segundo a fonte, a edição deste ano decorrerá de 12 a 19 de outubro, em Seia, em simultâneo com a realização do 2.º Fórum Internacional de Festivais de Cinema de Ambiente.

A 25.ª edição do CineEco tem como elo condutor a água, um “bem essencial à (sobre)vivência e evolução”, e a sua programação incluirá as mais recentes produções nacionais e internacionais sobre questões ambientais.

Ao Grande Prémio Internacional Longas Metragens concorrem dez películas, que “testemunham vertentes diferentes, ainda que transversais, sobre a ação do homem no Planeta”.

Apresentam-se obras “desde os segredos e mistérios escondidos na natureza e o papel do Homem na própria (re)Criação em ‘Genesis 2.0′, de Christian Frei e Maxim Arbugaev; até ao ‘storytelling’ íntimo e emocional de ‘Grit’, de Cynthia Wade & Sasha Friedlander, sobre uma jovem sobrevivente de um ‘tsunami’ de lama tóxica; passando pela história de vida em dimensões difusas de um tempo pós apocalíptico em ‘Lost reactor’, de Alexandra Westmeier”, segundo os promotores.

Na Competição Longas em Língua Portuguesa destacam-se “Hálito Azul”, de Rodrigo Areias, “Amazónia, o Despertar da Florestania”, de Christiane Torloni e Miguel Przewodowski, “Understory”, de Margarida Cardoso, e “Alva”, de Ico Costa, para além de curtas portuguesas, do Brasil, Moçambique e Cabo Verde, onde se inclui também o Panorama Regional e Competição de Documentários e Reportagens para Televisão.

Em ano de comemoração dos 25 anos, a organização do CineEco reforçou a programação paralela com exposições, instalações artísticas ‘indoor’ e ‘outdoor’, um cine concerto, ‘workshops’ e oficinas de educação ambiental, provas de vinho e de gastronomia.

“De ressalvar a realização de ‘Eco-talks’, pontos de encontro e discussão para troca de experiências, oportunidades e contactos entre profissionais especializados nas áreas do ambiente e do audiovisual, realizadores, diretores de cinema e participantes em geral”, acrescenta a fonte.

Este ano, destaca-se ainda a continuidade da iniciativa “Escolas no CineEco”, que permite que crianças e jovens tenham a oportunidade de visualizar filmes e de conversar com alguns dos realizadores presentes no festival.

O CineEco, que tem Mário Branquinho como diretor, é organizado pelo Município de Seia e conta com o alto patrocínio do Presidente da República e do Departamento de Ambiente das Nações Unidas.

O evento anual é cofinanciado pelo Fundo Ambiental, tem o apoio do Turismo de Portugal e da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela.

Fonte: Lusa

Por | 2019-07-31T05:16:34+00:00 31 de Julho de 2019|Categorias: Arte, Cultura||0 Comentários

Sobre o autor:

Somos
Multiplataforma de comunicação numa mesma língua que junta contadores de estórias de Macau, da China e de todos os espaços do universo lusófono.

Deixe um comentário