INFORDEPE abre 106 vagas para docentes timorenses no Projeto Pró-Português

/INFORDEPE abre 106 vagas para docentes timorenses no Projeto Pró-Português

INFORDEPE abre 106 vagas para docentes timorenses no Projeto Pró-Português

O Instituto de Formação dos Docentes e Profissionais da Educação (INFORDEPE) constituirá, entre os dias 18 a 31 de agosto, uma bolsa de 106 formadores nacionais de Língua Portuguesa para o exercício de funções de docência no Projeto Pró-Português, refere um comunicado deste instituto.

Segundo o documento, os critérios que os candidatos deverão preencher para se candidatarem às vagas são, entre outros, possuir o grau de bacharelato em Língua Portuguesa, conferido por instituições de ensino superior nacionais acreditadas ou de outro país da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), tendo ainda um domínio da Língua Portuguesa equiparado ao nível de proficiência linguística B2.

“Os critérios preferenciais incidem sobretudo na experiência na área de docência da Língua Portuguesa, formação profissional e contínua de professores bem como certificados de proficiência do nível B2”, diz o documento.

Recorde-se que o Coordenador do Pró-Português, Marino Tavares, tinha antes revelado que docentes portugueses darão continuidade à formação de língua portuguesa de todos os professores timorenses, sublinhando que a formação integrará duas fases.

O coordenador referiu também que os docentes portugueses lecionarão cursos dos níveis de proficiência A2 (básico), B1 e B2 (intermédio) em todos os municípios do território.

De acordo com o coordenador do projeto, após a chegada do primeiro grupo de professores portugueses, foi realizado um encontro para debater vários procedimentos relativos à preparação do projeto para recrutamento de formadores timorenses.

“O número previsto é de 106 formadores nacionais, 53 efetivos e os restantes suplentes”, afirmou.

Recorde-se que o Pró-Português, financiado em mais de 18,5 milhões de dólares, decorre da cooperação entre o Ministério da Educação, Juventude e Desporto de Timor-Leste e o Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, I.P de Portugal, cujo protocolo foi assinado em setembro do ano passado.

O projeto tem como objetivo melhorar as competências linguísticas de português de todos os docentes timorenses em cerca de três anos. Além do ensino presencial, será introduzida a modalidade do blended learning (b-learning), sendo que parte dos conteúdos será transmitida a distância.

Fonte: Tatoli

Por | 2020-08-10T14:42:15+00:00 10 de Agosto de 2020|Categorias: Educação||0 Comentários

Sobre o autor:

Somos
Multiplataforma de comunicação numa mesma língua que junta contadores de estórias de Macau, da China e de todos os espaços do universo lusófono.

Deixe um comentário