Único estádio de futebol com relvado natural na Guiné-Bissau interdito para concertos

/Único estádio de futebol com relvado natural na Guiné-Bissau interdito para concertos

Único estádio de futebol com relvado natural na Guiné-Bissau interdito para concertos

O secretário de Estado da Juventude e Desporto da Guiné-Bissau, Dionísio Pereira, ordenou a interdição para a realização de espetáculos musicais, até nova ordem, do único recinto de futebol com relvado natural no país, o estádio 24 de Setembro.

Em declarações à Lusa, momentos antes de embarcar, na madrugada de segunda-feira para aquela que é a sua primeira viagem oficial, a Angola, onde vai tomar parte na reunião de responsáveis da juventude e desporto do espaço lusófono, Dionísio Pereira indicou que a interdição do estádio 24 de Setembro “é para ser cumprida, já”.

“Tomámos essa decisão para salvaguardar o relvado, que está completamente danificado”, afirmou Pereira, de 33 anos.

Vários setores da sociedade guineense criticaram o facto de o estádio 24 de setembro, construído em finais da década de 80 do século passado, ao abrigo da cooperação chinesa, estar a ser constantemente utilizado, nos últimos anos, para concertos musicais, danificando o relvado.

Dionísio Pereira disse que, paralelamente à interdição do uso do estádio para espetáculos, vai pedir à federação de futebol um calendário e um roteiro para os próximos compromissos da seleção nacional de futebol guineense, no âmbito das eliminatórias para a próxima Taça das Nações Africanas (CAN), em 2021, cuja fase final será disputada nos Camarões.

A Guiné-Bissau está inserida no grupo I, em conjunto com Senegal, República do Congo e Suazilândia e começa a fase das eliminatórias em novembro.

O novo secretário de Estado da Juventude e Desporto da Guiné-Bissau quer ver “melhorias no desempenho da seleção nacional”, o que, disse, significa que os “djurtus” terão de ir além de “uma simples participação nas fases finais”.

Sobre a sua primeira presença em encontros de ministros da Juventude e Desporto da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que decorre em Luanda, Dionísio Pereira afirmou que, à margem, vai ter reuniões de trabalho com os homólogos de Angola, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe.

O dirigente guineense indicou à Lusa que vai “ver o que existe em termos de política desportiva” daqueles países e “tentar encontrar mecanismos de aplicabilidade na realidade” da Guiné-Bissau.

Dionísio Pereira afirmou também que vai analisar com aqueles países o nível e os resultados no âmbito da implementação da política de juventude, instrumento que a Guiné-Bissau não tem conseguido executar, “devido à instabilidade política e governativa”.

Antes de regressar à Bissau, Pereira segue para uma curta visita de trabalho à Portugal, para encontros com entidades que trabalham em setores da juventude e desporto.

O novo secretário de Estado tem como metas desenvolver uma rede de infraestruturas desportivas, capacitação de recursos humanos e elaboração de leis que regulam o setor do desporto.

Fonte: Lusa

Por | 2019-07-22T13:04:38+00:00 22 de Julho de 2019|Categorias: Desporto||0 Comentários

Sobre o autor:

Somos
Multiplataforma de comunicação numa mesma língua que junta contadores de estórias de Macau, da China e de todos os espaços do universo lusófono.

Deixe um comentário